segunda-feira, 7 de novembro de 2005

Por engano...



Deixamo-nos enganar pelos nossos afectos enquanto lá fora o mundo morre. Todos os instantes nos deixamos envenenar suavemente, sugando a liquidez dos dias e das noites que se sucedem sem sentido.

Entusiasmamo-nos ingenuamente com a nossa realidade, porque nos esquecemos sempre que nada da nossa realidade é real para os outros.

E depois caímos nessa noite terrível, cheia de estrelas que não brilham, cheia de um silêncio ensurdecedor, cheia de um luar negro, pesado e frio.

Esquecemo-nos frequentemente de viver, e vamos existindo calma e passivamente numa constante sátira de nós mesmos...

19 comentários:

Daniel Aladiah disse...

Querida Cláudia
É bem verdade. Mas nada mais há do que a nossa realidade e a percepção que temos da realidade dos outros. Às vezes, conseguimos sobrepor realidades, mas mais das vezes seguimos às escuras...
Vês aquela luz? É outro como tu, que procura, talvez eu...
Um beijo
Daniel

José disse...

Esquecemo-nos de viver e vivemos a mentira que não queremos.
Um beijinho para ti, Cláudia

Su disse...

"Esquecemo-nos frequentemente de viver, e vamos existindo calma e passivamente numa constante sátira de nós mesmos..."
é isso mesmo q fazemos, às vezes somos bem estúpidos (falo por mim), em vez de viver, existimos apenas...opssss
jocas maradas

Vagabundo disse...

Há que lutar contra o esquecimento de viver, será sempre uma luta constante.... mas há que continuar!

Bj Vagabundo

Anónimo disse...

a vida nao é um constante fabrico, uma constante premeditação. a vida nao sao palavras pensadas com minúcia para depois se dizerem oportunamente, a vida são as palavras q nos saem da boca e voam como o vento. a vida nao é um blog. não são palavras mais que mil vezes vistas mas construidas de uma forma diferente... para nao ser igual ao resto. já foi tudo dito, já foi tudo fabricado.. resta-te falar com a voz da alma e deixar.te de fabricos em série e com aquela conotaçao negativa q já parece outra coisa... VIVE e deixa-te viver com leveza, nao te prendas em palavras e em cenários virtuais que apenas ofuscam realidades duras e cruas, mas é com elas que tens q mexer e é nelas q tens q tocar... de q adianta este refúgio? depois vem os outros dizer de sua justiça... dizer igualmente sempre a mesma coisa mas alterando a construção frásica e são todos muito amigos e são todos muito lindos e amam-se todos muito uns aos outros e 'o q escreveste é fantástico' e blah blah blah! ainda nao te apercebeste q este 'mundo' é completamente falso e hipócrita? q aqui nada se aprende, só s iludem mentes? ao menos passa-se o tempo... esta história no fundo até me deixa triste.. porque ilusões nao passam disso mesmo. e pensem... já foi tudo escrito... a unica coisa q fazem é mudar a ordem das palavras, como eu próprio/a estou a fazer neste momento! sei q fui repetitiva/o mas aqui tb nao m interessa o rigor ortográfico e semântico... interessa-me a mensagem, a qual eu sei q vai ser espezinhada por todos, q vao dizer cobras e lagartos dela, q eu sou esta e q sou aquela e que 'claudia nao te deixes abater por estes monstros q nao sabem o q dizem'... enfim! eu só quero o teu bem, nunca te quis mal, achei q devia dizer-te isto. porque é areia demais para os meus olhos e para os olhos d toda a gente. mas eu sei q o espetaculo vai continuar... ah seeeeeeeiiiiiii, e então no q vai tocar a atirarem-me pedregulhos aí é q vai ser... mas eu já vou estar longe porque decidi nem voltar mais aqui. quem nao gosta nao come nao é verdade. apeteceu-me comer uma vez e dizer de minha justiça... nao posso???
fiquem bem pessoal, e tu acorda nem q seja só um bocadinho, ja ficava contente.

se não sabes quem é devias saber.

fui

AJFRM disse...

Quem tava a pedir pedragulhos??!!
eihn??!!
tenho muitos pra oferecer! scum bag!!

que ordinarices!!
quer dizer q uma pessoa nem no seu próprio blog pode estar à vontade?!

já agora!!


Quanto ao post;

adorei a ultima frase.
muito sintetizadora.
sensibiliza-me.

E força sim claudia!
ouvidos de mercador!
cães ladram....
etc,etc

enfim .... é preciso de tudo um pouco pra fazer o mundo.

parabéns pelo blog!

Lili Cheveux de Feu disse...

Que talento para a escrita!!! Belíssimo e doloroso texto. Parabéns!!!

Lili - Brasil.

Dameuntango disse...

deixo aqui uns pós especiais, daqueles que fazem voltar a brilhar as estrelas que não brilham...

A tua escrita esmaga-me...
Abraço
A. Bandeira Cardoso

Su disse...

anónimo

como vês ninguem disse "cobras e lagartos" em relação ao post, mto menos em relação ao q pensas dos blogs e seus comentadores!

ser anónimo é não ser

como bem o dizes, tudo já foi dito, nada passa duma conjugação de palavras, mas as pessoas que as conjugam, costumam-se identificar

virtuais são todos os anónimos

viver é pensar, escrever, trabalhar, sonhar , amar, rir, chorar
na vida vale tudo, menos ser anónimo

jocas maradas

dulce disse...

Tantas vezes a nossa pequena realidade assume contornos que nos absorvem totalmente não nos deixando olhar para o mundo à nossa volta. Ficamos virados para nós mesmos, como que virados para dentro e realmente esquecemo-nos que existe toda uma vida lá fora à nossa espera.
Continuas a escrever maravilhosamente.
Beijo grande.

luiz disse...

Não peço tua atenção , empresta-me teus olhos , e por momentos na mais absoluta escuridão eu fico pra te dizer:
Deixa que a vida te possua ardente
Abandona, águia, a tua inóspita morada
Vem rastejar no chão como a serpente.
De que te vale o espaço se te cansa?
Quanto mais sobes mais o espaço avança....
Desce ao chão , águia audaz
Abandona, águia,a inóspita morada
Vem rastejar no chão como a serpente....

boa noite
Luiz

Friedrich disse...

Belissíma reflexão, as realidades nunca são iguais, num lado do globo é noite, noutro é dia...

Beijos

vero disse...

É bem verdade Cláudia...esquecemo-nos simplesmente de...VIVER!!!
Beijinhos***

Pólux disse...

Olá, Claúdia, boa-noite!

Gostei de ler. É bom sabermos que mesmo os mais intrincados labirintos e as rochas mais abruptas e nuas nos devolvem em eco as nossas palavras. Como se falassem, como se concordassem, como se nos apoiassem.

A CHAVE DO ENIGMA

A SOLIDÃO

Tem a solidão isto de comum com o silêncio e a escuridade: espanta; e aturde quem nela cai; mas, logo que o ouvido, desadormentado dos sons fortes, aprende a conversar com a mudez; tanto que os olhos, desofuscados dos luzeiros intensos, se exercitam em caçar espectros de raios. fosforescências indecisas, que são como que os infusórios das trevas, descerrou-se o negrume em brilhantismo, a calada aviventou-se de diálogos, a solidão, que parecia o nada, é o teatro com o seu drama, é um mundo novo com um sistema completo de existências imprevistas e apropriadas.

Que admira? A solidão medita, e a meditação cria. Os sentidos pastam só no que lhes oferecem a natureza, a fortuna, o acaso: a divindade interior, a alma, tem comércios inefáveis com o íntimo e ignorado.(...)


António Feliciano de Castilho

Beijinho.

Berto disse...

Ou anónimo, intelectual, de outras galáxias, diz-nos, afinal o que é a vida?
Também poderás elucidar-nos sobre o teu dicionário de palavras jogadas ao vento! E contar-nos o que produzes, nesta vida de leveza…
Quanto ao cenário, aqui desenhado, dou os parabéns á produtora, seja com a construção frásica alterada, ou como tu a entendas, para mim, é um romance que está a ser escrito, muitíssimo bem e que nos faz envolver e vir sempre á procura do novo capítulo. Ainda bem que… “ Só porque me apetece escrever ”, Cláudia, contínua o teu belo romance dá-lhe um título e publica-o. Eu venho sempre a este cantinho lê-lo;
PORQUE HÁ SEMPRE QUALQUER COISA PARA SE DIZER.
PORQUE VIVER É SEMPRE COMUNICAR.
A CADA INSTANTE. COMO AGORA.
Deixem-nos VIVER.

Berto
Ohm752003@yahoo.com.br

AJFRM disse...

"E depois caímos nessa noite terrível, cheia de estrelas que não brilham, cheia de um silêncio ensurdecedor, cheia de um luar negro, pesado e frio."

Tou quase fora dessa, quase.

está practicamente para trás,

custou!
mas foi!

aperta-se os dentes com muita força!
acredita-se!
em nós!
e prá frentex!

olecas!

Mainada!!

X disse...

Muito romântico blá blá blá... mas também muito frustrado...perturbado. Devia tratar isso. Veja o meu anterior comment relativo ao poema "Carícias" e está lá tudo o que penso. As melhoras.

☆Fanny☆ disse...

Esquecemo-nos de viver? Sim, tantas vezes. Mergulhamos no escuro, os brilhos perdem-se...perde-se a coragem, surge o silêncio...mais nada! E agora? Resta-nos perceber a música desse silêncio e ouvir os murmúrios da alma...e nesse diálogo com o interior, surgirá a LUZ e ver-se-á o quão urgente é VIVER! Ainda é tempo! Nunca é tarde! Depois da "clausura" os dias sorrirão de uma forma especial, mas temos de dar o primeiro passo! Muitas pessoas não percebem, mas é nesses momentos escuros que a vida nos ensina as melhores lições e felizes dos que aprendem.

Um abraço com carinho
*Fanny*

Visible Silence disse...

Querida Cláudia,
Numa coisa o anónimo que aqui escreve tem razão... todos nós falamos, ou melhor escrevemos... porque é muito fácil... é fácil aconselharmos pessoas que não conhecemos... sem saber até que ponto estamos a influenciar vidas de que, no fundo, nada sabemos...
Não há nada melhor do que dizermos o que pensamos e sentimos... olhos nos olhos...
O ideal seria conseguirmos abrir o nosso coração, como aqui o fazemos, mas a olhar nos olhos de quem a nossa mensagem se dirige...
A vida... de facto não é um blog... usa a blogosfera para te divertires... mas nunca permitas que ela decida a tua vida... não te "feches" aqui... vive...
Mil beijinhos