quinta-feira, 24 de julho de 2008

Agora.





E as luzes foram amantes na margem do rio que lhes reflectia a entrega, a volúpia, a rendição.

Há noites que são longas demais para a rapidez fulminante de um amor absoluto.

Há noites que são curtas demais para a lassidão e infinidade de um sentimento que se reflecte no espelho quebradiço da água.

Houve noites... Haverá noites...
A condenação delimitada pelas margens porque o rio não pode senão correr para o mar.

De onde me chega este som de ti?
Estarás já tanto em mim que o meu respirar é um eco do que somos?

AGORA. Fujo do estremecimento violento da realidade e atiro-me dessa margem.
Lanço-me no vento encantado que acompanha o curso do rio e vou ter contigo em forma de sereia.
E tu, pescador, acolhes-me nesse aconchego doce que inventaste só para mim... e já não há mais tempo.

Porque somos PRESENTE.



14 comentários:

Ana disse...

Passado, presente e futuro entrelaçam-se neste texto!

Muito bonito!

♥♥ ♥♥ disse...

Ótimooo texto ...
Beijo

Dulce disse...

Passei e deixo-te um abraço.

Corneto de Chocolate disse...

"Lanço-me no vento encantado que acompanha o curso do rio e vou ter contigo em forma de sereia."... Tá doida, santa? Assim, sobra nada para comê, muié. ;)

Derreto-me contigo. ;)

nuvem disse...

És sempre doce na tua escrita. Gosto muito de te ler.

Beijinhos

Black Kittie disse...

Olá

lindo este teu texto :)

Beijits

Flávia por ela mesma disse...

Bellíssimas palavras! Amei seus textos. Leves, delicados, primorosos.
Parabéns pela obra!
Beijos.

☆ tenshicris ☆ disse...

Como sempre surpreendes linda..
belo texto...
beijinhos e uma boa semana

Daniel Aladiah disse...

Lindo, Cláudia... o amor nas margens do "nosso" rio...
Um beijo
Daniel

Rosa disse...

E também são passado. E, espera-se, futuro.
Beijinho *

Peregrina disse...

E foram passado. E serão futuro, se Deus o quiser :)

Um beijinho*

Wolf disse...

lindo

kiss

Victor Constâncio disse...

"..e já não há mais tempo.

Porque somos PRESENTE."

Não havia outra forma de rematar este texto senão na eternidade da presença =)

joão marinheiro disse...

Naveguei por aqui hoje, gosto de subir o Douro e atracar a uma e outra margem, depois passear os olhos pelas palavras e descansar, foi o que fiz por aqui no teu lugar de encantar.
Abraço na outra margem.