domingo, 8 de janeiro de 2006



Esta noite estrangulei o medo que tenho de te ver ir embora.

Melhor dizendo, foi o medo que tenho de te ver ir embora que me estrangulou a mim.

Devagarinho, roubou-me o ar e a serenidade infantil e quase inconsciente de ir respirando.

17 comentários:

Sozinho... disse...

Um medo de ausência apenas permanecerá até o nosso olhar for de novo descoberto...
Espero que o teu olhar esteja em fase de descobrimento! ;)
Beijinho

Daniel Aladiah disse...

Querida Cláudia
O instinto animal que temos obriga-nos a tentar sobreviver, a respirar fundo, mesmo quando o coração está apertado. Dá uma oportunidade a ti própria...
Um beijo
Daniel

Chocolate disse...

Começaste bem - tens de arranjar forças para seres tu a estrangular o medo e não ao contrário.
Acredita que lá chegarás...

:)

Rosa disse...

Isso de medos... não pode trazer coisa boa!
Miúda, não te esqueças de respirar!! :)

vero disse...

Olá Cláudia, passei para deixar um beijinho***

Muse disse...

Eles já disseram quase tudo antes, não é linda?

E tu sabes bem oq me estou a referir!

"Just Like Heaven"

Beijos

Muse disse...

e como li em qq lado:

"hoje vi-te, e esqueci-me de respirar"

beijo

luiz leãocomtosse disse...

Numa noite como esta , mas já muito do passado ,que quase ja esquecida, levantei-me da cadeira e parti. Não olhei mais pra trás nunca mais , eu já havia partido tempos antes e daquela noite só me lembro de levantar e levar meu corpo comigo. E lá ela ficou talvez como estátua num canto qualquer . Algo havia se quebrado de vez , e ainda hoje vou recolhendo cacos e destroços.Mas unca mais olhei prá trás.

vero disse...

Queridos amigos, o que é para vós a "PAIXÃO" e o "AMOR" ?
As mais belas definições/ interpretações serão depois publicadas no meu blog!
Posso contar convosco?
Beijinhos***

Su disse...

menina, respira fundo, bem fundo
jocas maradas de ar

Anónimo disse...

Escreves muito bem.
Se me permites a intromissão, penso que só nos roubam alguma coisa quando o permitimos. Mas a verdade é que precisamos de entrega o ouro ao bandido, de modo a respirar. :)
Acredito que sem sombra, não conseguimos crescer, aprender, viver...
Filosofias sem nexo quando sofremos... Mas que tecem uma realidade quando a tempestade passa.
Beijos,
Sara

NightWolf disse...

Já tantas e tantas vezes nos deixamos estrangular pelo medo, medo de tentar, medo de viver.
beijinhos*

Vitor Monteiro disse...

há medos que são inconscientes connosco proprios...e nós temos que saber como ultrapassar esses medos...por vezes é preferivel dar um paço atraz para que depois possamos avançar dois... sei que no meio da tempestade a visibilidade é reduzida mas temos que usar toda a nossa experiencia e força de vontade para lutar pelos nossos objectivos, pelos nosso ideais!!!
Vive a vida e não deizes que ela te viva a ti

BJS*****

Blue C. disse...

Ola, linda. Ausencia por excesso de trabalho e recolhimento necessario. Volto com uns textos que penso que vais gostar. Beijinho doce

Pólux disse...

E no entanto a Noite é quase sempre boa companheira, ou não fosse ela a mãe de Morfeu, o que o mesmo será dizer do Sonho.

Bom fim-de-semana, Cláudia.

Beijinho.

Peter Pan X disse...

Não pares de respirar, não te rendas a esse "medo".

É natural sentires esse medo e esse sufoco, mas deves continuar a viver, a respirar e andar em frente.

Não te limites a existir, pois o que é preciso é viver!

Fica bem.

Um beijo grande.

;-)

Strip a heart disse...

Meu deus... como sei como é sentir esse medo. Estas palavras, ai ai... nem as quero comentar.

***