domingo, 29 de janeiro de 2006

Consegues ouvir quando as minhas mãos chamam por ti?



O tempo tem passado muito depressa e faz-me confusão que tu não passes com ele. Porque já são tantas as noites em que não estás aqui. E mesmo assim parece ser só o tempo que continua a passar...

Não me importa mais que a luz não acenda. Esse não foi nunca obstáculo para que não me visses. Também não me importa que a noite seja fria. Porque me debato com o outro frio. Aquele que está dentro de mim e cruelmente se faz sentir, mas que insiste em não me abandonar. Talvez vingança do tempo em que lutei para te afastar...

É em momentos como este que as minhas mãos se apoderam de tudo o que sou. E escrevendo, chamam por ti. Gritam o teu nome em gestos desajeitados enquanto percorrem freneticamente as letras que vão preenchendo este espaço branco. Como se as pudesses ouvir assim. Como se toda a esperança terminasse no próximo ponto final... Como se toda a possibilidade acabasse exactamente aqui.


(Mas diz-me, consegues ouvir quando as minhas mãos chamam por ti?...)

20 comentários:

Framboise disse...

É sempre um deleite ler o que escreves. Transparece todo o sentimento. Gosto disso :)
Beijinhos

nuno albuquerque vaz disse...

as mãos arrastam.me...e presas em ti gritam amarradas em silencios ofegantes...afogas as palavras dos outros no reflexo da tua sombra...larga.me espelho de sombras...as tuas palavras sao algemas...aposto que a tua pele tem o sabor do sal...

LUA disse...

Cláudia, passei por aqui para conhecer o teu cantinho e confesso que fiquei deliciada com as tuas palavras.... elas transbordam sentimento e provocam sensações.
Por vezes as palavras silênciosas, tornam-se ensurdecedoras, para aqueles que não as querem ler...e por muito que se grite as palavras serão sempre mudas, quando não se quer ver.

Beijinho :)

xkeltos disse...

hummmmmmm s eu fosse a ti, mandava o gajo passear...

NightWolf disse...

Apesar de se sentir tanta tristeza nas tuas palavras não deixa de ser muito bonito aquilo que escreves, tanto sentimento, escreves com o coração, muito muito bonito, beijinhos e uma boa semana para ti ;)

pp disse...

Claudia mais uma vez....não tenho palavras para descrever a tua sensibilidade...gosto muito do que escreves...

☆Fanny☆ disse...

Gosto da forma como escreves.

Nada como colocar umas reticências no final dos teus pensamentos... quem sabe esse alguém perceba o enigma que se esconde por detrás dumas mãos que clamam em silêncio nos versos que escreves...

Um beijinho*

Fanny

eva jasmim disse...

Quando leio o que escreves invadem-me diversos pensamentos. O que mais insiste é "será isto a realidade, aquilo que a cláudia sente e pensa?" ou "será um misto de imaginação é realidade" ou "será apenas imaginação"?.

Não sei...
Seja o que for, desperta em todos nós a ideia de que a tua "imaginação" não pára, não tem limites...
Sinto que gostas mesmo de escrever!
Beijinho!

eva jasmim disse...

Muito muito lindo este texto...

Palavras que escreves
Palavras que prendem
Palavras que nos levam para um mundo teu que se confunde muitas vezes como o nosso
Palavras que sentes na primeira pessoa
Palavras de desalento e dor
Palavras de perdição
Palavras de alívio

Ainda bem que as partilhas!

pp disse...

Não me canso de te ler...ainda que repetidas vezes...
bjs

Neith disse...

Belíssimo texto em que as palavras são lapidadas com profunda emoção deixando apurar a essência dum sentir verdadeiramente intenso. Beijinhos :)

Codemu disse...

Viva. Já venho cá há algum tempo, para ler o que escreves, mas esta é a 1ª vez que comento. As tuas palavras são sem úvida muito fortes. A maneira como transformas os teus sentimentos é brilhante.
A dor é algo que faz parte da nossa vida, que nos acompanha nlaguns momentos e que de certa forma serve para nos tornar mais fortes, ainda que pareça que não.
Mais não posso dizer do que " Ardemos na vã Esperança da iluminação da nossa Vida". Codemu

Skeptikal disse...

Já passei diversas vezes por este blog, e há uma coisa que não percebo. Até agora, todos os posts que li, dão-me a sensação que se dirigem todos à mesma pessoa, que não está lá. Não consigo perceber se estou certo ou não. Quanto ao resto... Muito bom!

Su disse...

entendo esse sentir
jocas maradas

Corneto de Chocolate disse...

Consigo... tudo! ;)

pp disse...

mais uma vez....

Corneto de Chocolate disse...

Por onde andas que a sombra da tua ausência, emsombra os meus dias?

Corneto de Chocolate disse...

Por onde andas que a sombra da tua ausência, ensombra os meus dias? ;)

Sara disse...

Gostei bastante de te ler e obrigado pl comentário, voltarei;)
bjoka

Strip a heart disse...

Era bom (e mau) que aquilo que escrevessemos chegasse directamente à pessoa que dá lugar ao nosso "tu"... Bonito texto. :)

Obrigada pela tua passagem pelo meu blog. Peço desculpa mas ainda não tinha tido a oportunidade de passar pelo teu, mas parece-me que existem coisas bonitas por aqui. :)
Quanto ao meu voltar, não sei... um dia destes quando fizer sentido.

beijinhos