quarta-feira, 27 de julho de 2005

Indefinição

É na sucessão de dias com sabor agridoce que hoje chego até aqui. Com o olhar pousado nas sombras dos desejos que não posso transformar em realidades, mas com as mãos transbordantes de instantes concretos e perfeitamente definíveis.

Estou actualmente neste limbo. Melhor dizendo, tenho eu própria sido essa orla, essa extremidade em que há sempre a possibilidade de tombar para qualquer um dos lados.

Sinto o prazer e sinto a dor. Intensamente. Mas não sou nenhum deles. Sou antes aquela indefinição que fica entre um e outro. Talvez apenas uma transição, uma breve passagem que não chega verdadeiramente a "ser" o que quer que seja.

Deixemos as memórias. Definitivamente.

19 comentários:

R* disse...

Deixemos as memórias, mas não definitivamente, só por uns tempos, o tempo que for necessário, porque elas são parte do que fomos e, sem dúvida, também parte do que seremos. Mas deixemos as memórias, sim. Pode ser que então elas nos deixem também...

:)

dulce disse...

"A memória não é mais do que outra maneira de inventar" Eduardo Mendicutti.
É também aquilo que faz a ponte entre o q fomos e o q somos, o elo que nos transporta ao q de bom e mau tivemos no nosso passado. Eu que possuo uma memória muito selectiva, recordo mais os momentos bons. Os maus vou buscá-los em dias de neura como se precisasse deles para me afundar mais ainda.
Enfim, uma cabeça neurótica....
Dulce

nascitura disse...

Cláudia,
nós somos também memórias. Não devemos fugir delas mas sim aceitá-las e tomá-las como companheiras. Pode levar algum tempo, mas quando o conseguimos o caminho torna-se menos penoso.

Vitor Monteiro disse...

Já diz o velho ditado " àguas passadas não movem moinhos"...contudo não nos podemos esquecer que elas passaram por lá...independentemente de tudo o que essas águas foram, que elas sejam fruto de ensinamento e aprendisagem para as que passam e vão passar...
Bjs
parabens pelo blog

Muse disse...

Nas palavras do imortal Vitor Espadinha: "Recordar é viver"...
As nossas memórias são parte integrante de nós, não as tentes esquecer, mas antes dar-lhes a importancia q merecem!!! Recordar momentos de felicidade é sempre bo, apesar de talvez não os podermos repetir, pelo menos já os tivemos e isso é o mais importante de tudo!!!!!

Recorda, mas não fiques presa!! segue em frente, que o mau passa, o bom fica e o melhor está para vir!!!

Beijinho

P.S.- Gostei do blog!!!

Vagabundo disse...

Podes deixá-las onde quiseres, mas lembra-te sempre que tens que recordar onde as deixás-te... pois vais necessitar de as recordar!

Milocas disse...

Em poucos minutos adorei o teu blog! Simplesmente :) Beijinhos*

AS disse...

Essa indefinição tantas vezes se sente Cláudia!... Por isso é que por vezes temos tantas dúvidas.

Um beijinho

RAM disse...

às vezes perdemos tudo
e aquilo que era estreito
e que habitava os dias
torna-se imenso
cresce desmedidamente no ventre das memórias
e quando já não cabe lá dentro
rebenta o que cuidadosamente muralhámos
e inunda a planície em que pastam os nossos medos
no rebanho então tresmalhado do nosso passado

nesse momento dói tanto estar vivo

às vezes perdemos tudo
e aquilo que vivemos sem dar conta
e que no fundo éramos nós a respirar
grita-nos aos ouvidos que estamos a morrer
porque não sabemos viver quando perdemos tudo

grita-nos aos ouvidos que há oceanos que não sabemos muralhar
e que o nosso passado não existe realmente
porque perdemos o mapa da terra longínqua
da ilha esquecida
em que um dia o enterrámos.

José Rui Teixeira

Ritinha disse...

Deixar talvez não...

Mas deixar passar, sem dúvida. Definitivamente!

Beijos

Pólux disse...

Tal como um navio, a nossa alma flutua e balança, movida pelas mais diversas forças vectoriais. É certo que nem sempre balanceia ao sabor da maré, pois antes de fundear na quietude do cais ou da baía, há que contornar bancos de areia, tempestades abissais, pedregosos recifes, essas dificuldades ocultas na curva de todos os dias.

Bonitos textos!

NightWolf disse...

Cheguei ate aqui atraves do blog do Muse, gostei... pleno de sentimento este teu cantinho.
Beijocas e bom fim de semana

Cláudia disse...

Obrigada a todos pelos comentários.

Beijinhos para vocês e bom fim de semana...(se entretanto não voltarmos a ter "encontros imediatos" do mundo virtual)!! :-)

escrevinhador disse...

"Deixemos as memórias.
Definitivamente."
Por vezes, é sem dúvida o melhor a fazer. Mas não é fácil. E há sempre quem diga que "Recordar é Viver". Não sei...

RAM disse...

Cara Cláudia,

Obrigado pelo visita e pelo elogio.
Muito (alguma coisa, pelo menos) do que está lá ecrito é meu.
RAM é um acrónimo de Rui Amaral Mendes, não um nick qualquer.
A assinatura identifica sempre o autor. Sem anonimatos.
Portanto, quando vir "Rui Amaral Mendes" sou eu ;)
Fique bem.

RAM disse...

Eu precedi-a no desafio a mim mesmo :)))))))))

atoep disse...

I couldn't agree more. Awesome.

Orange disse...

Como Humpty Dumpty?
:)

RAM disse...

No need to apologise ;))))
Volte sempre.....