sábado, 23 de julho de 2005

Hoje eu escrevo que...

...não consigo definir este receio... talvez porque consiga senti-lo emocional e fisicamente.

É um daqueles medos que nos cativa, que de certa forma nos incomoda, mas que intimamente desejamos continuar a sentir. Porque mexe connosco. Altera o estado das coisas à nossa volta. E, num único instante, faz a dúvida e a certeza coexistirem num misto confuso de fluídos que nos percorrem o corpo num estremecimento forte e fatal.

E rendemo-nos.

Teremos nós, alguma vez, outra hipótese?

18 comentários:

lobices disse...

...perguntas:
...cito:
"...Teremos nós, alguma vez, outra hipótese?..."
...
...temos. Temos sempre a hipótese de escolher; nada mais nos pertence; nada mais possuímos; apenas é nossa a capacidade de podermos escolher...
...podemos escolher tudo menos o momento do nosso nascimento...
...viver, é uma das escolhas; tudo o resto são escolhas...
...logo, carry on
:)*

Rosebud disse...

Assino em baixo Lobices - no princípio e no fim de todos os caminhos está sempre a escolha.

diarreias! disse...

...que borrada dos lobbies...
...que panascada o engate por blogs...
...que rotidão...

Rosebud disse...

diarreias, até te acho piada mas... há comprimidos para isso sabes? para o mau feitio é mais complicado, mas deixa lá, as notas dissonantes também fazem falta.

Cláudia disse...

Lobices e Rosebud,

compreendo os vossos comments e concordo que a possibilidade de escolha é algo que é nosso, porque inerente à nossa condição de humanos.

Mas no post, referia-me aos instantes em que damos por nós a sermos invadidos por emoções de tal maneira intensas que parece não nos restar outra alternativa a não ser o sucumbir a elas...

Provavelmente a alternativa está sempre lá... mesmo que não sejamos capazes de a ver. ;)

lobices disse...

diarreias: LOL

lobices disse...

cláudia:
- quando te sentes "invadida" por emoções intensas que te parece não restar outra hipótes senão a de sucumbir a elas, restar-te-á, sempre, a hipótese de escolheres não sucumbir...
...será, sempre, uma questão de escolha e nunca uma questão de falta dela
...nunca resta senão uma única hipótese!... A única hipótese que temos é a de escolher, logo, não pode nunca restar-te apenas a hipótese de lhe sucumbires
...:)*
(mas entendi)

Cláudia disse...

Lobices,

fico feliz por saber que entendeu exactamente aonde eu queria chegar.

É que ás vezes sabe tão bem fazer de conta que não é preciso optar e que podemos apenas "escolher" deixarmo-nos levar... ;)

Vagabundo disse...

E quando não souberes por onde optar, então só te resta Vagabundear.

andorinha disse...

Vagabundear é óptimo, às vezes conseguimos aclarar a mente.
Bom fds.:)

RAM disse...

Hoje somente digo: bem-vinda!

Menina_marota disse...

Termos a hipótese da escolha, já nos dá a hiótese de escolher... o resto é ler a nossa alma e seguir em frente.
Um abraço e bom fim de semana :)

zezinho disse...

Antes de mais nada quero sauda-la por ser o 1º cantinho que descubro de V.N. de Gaia, tal como eu, embora eu fique perto da bela praia de Francelos. Depois gostei o suficiente do seu cantinho para continuar a ser seu leitor, por tudo isso vpu voltar. Tenho as minhas poesias á sua espera, boa semana, zezinho

Pólux disse...

A Cláudia diz-nos:
«É que ás vezes sabe tão bem fazer de conta que não é preciso optar e que podemos apenas "escolher" deixarmo-nos levar...»

e eu permito-me acrescentar: “… nem que seja somente pelo sonho”:

Pelo sonho é que vamos,
comovidos e mudos.
Chegamos?
Não chegamos?
Haja ou não haja frutos,
pelo sonho é que vamos.
Basta a fé no que temos.
Basta a esperança naquilo
que talvez não teremos.
Basta que a alma demos,
com a mesma alegria,
ao que desconhecemos
e ao que é do dia a dia.
Chegamos? Não chegamos?
Partimos. Vamos. Somos.


(Sebastião da Gama)

Cláudia disse...

Pólux,

"nem que seja somente pelo sonho"...
E que ele faça sempre parte da vida. Assim, fará também sempre parte da nossa realidade...

AS disse...

Cláudia, a certeza e a dúvida serão sempre uma companhia permanente, que alimentam um turbilhão de emoções e de contrastes...

Um beijo

ju-sza@hotmail.com disse...

(continuo sem acentuacao)
medo eh um vicio, uma droga (literalmente). Se voce reparar na quantidade de coisas que fazemos em nosso dia-a-dia procurando pelo tao esperado medo, percebera, eh tanto fisico quanto psicologico. Fisicamente explicado pelas enzimas (como adrenalina ou endorfina), mas psicologicamente, que eh o mais complexo, ninguem esta feliz quando esta 100% seguro das coisas. Precisamos de desafios, inseguranca, medo enfim, para provar para nos mesmos que somos capazes de conquistar o que tanto temiamos. Que somos maiores que tudo isso. Que somos maiores e melhores do que pensavamos ser.
Acredito eu ser isso. Mas nunca acredito muito em mim mesma.

ju-sza@hotmail.com disse...

E comentando os comentarios alheios, eu continuo concordando com voce, Claudia. Acredito muito que existam emocoes tao, mas tao fortes, que nao ha nada ser feito. Talvez ate aja, mas eu prefiro deixar-me levar. Gosto de sofrer, rir, chorar, viver o que sinto acima de tudo.
Conhecimento eh lindo, mas sao os sentimentos, ou nossas reacoes a vida, que nos levam a crescer como pessoas. Gosto de ser humana. Somos muito poucos nesse mundo.
(essa droga de acentuacao me mata)